Pale Fire (Fogo Pálido), o romance-poema obra-prima de Nabokov que detona a crítica a literatura! #nitroblog

Terminei de ler pela primeira vez a obra-prima de Vladmir Nabokov (o mesmo autor de Lolila), o romance experimental pós-moderno Pale Fire (Fogo Pálido). O estranho romance, que tem uma estrutura bizarríssima e jamais replicada novamente pelo que eu sei, é apresentado como um romance de 999 linhas escrito pelo poeta ficional John Shade, com um prefácio e comentários surreais de um colega e admirador fanático Charles Kinbote. Além disso, no final do livro tem um índice (!!!) que é também uma nova narrativa.
pale fire cover

Esses elementos criam um livro difícil de descrever. Parte do livro é o poema, parte do livro são os comentários dos versos (que não tem nada haver com o poema em si). Nos comentários, o Prof. Kinbote conta a história de uma nação fictícia dos Balcãs chamada Zembla, cujo rei King Charles, fugiu de uma revolução comunista. Essa trama se junta a descrição de Kinbote sobre o dia a dia da vida de John Shade durante a composição de Pale Fire, pontilhando seus comentários ácidos com articulações e críticas direcionadas a uma variedade imensa de assuntos, desde a falência da intelectualidade contemporânea, questões existenciais, sexo e obsessão, frivolidades, consumismo, crítica sociedade americana, às revoluções comunistas, etc.

O livro é muito engraçado. Os comentários do Kimbote sobre as linhas do poema (que é muito bom por sinal) não tem nada haver com o poema, existem apenas para ele contar a história bizarra do Rei Charles de Zembla.

O romance é uma coisa de doido, os temas ecoam entre si, o poema reflete os comentários que se refletem nas tramas, personagens se encontram com autores, fenômenos paranormais são causados e influenciam poetas,etc.

O estilo é impecável, as frases se alternam com ritmo e clareza, e a prosa varia entre a narrativa direta até a narrativa poética. E o narrador, totalmente não confiável, é engraçadíssimo.

Pude ver como esse livro claramente influenciou autores como Terry Pratchett e Douglas Adams. Este último usou muito dos artifícios e do humor de Pale Fire na composição do Guia dos Mochileiros das Galáxias.

É um livro difícil mas impressionante, cada frase cravada em diamantes, fantástico. Obrigatório para os admiradores de Nabokov e para quem quer ter um gostinho do que a academia considera Alta Literatura. 🙂

Vladmir Nabokov - Escritor Fodásico!

Pale Fire na Amazon (tem para Kindle) 

Fogo Pálido no Google Books

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s