Muitos romances de fantasia seguem padrões pré-estabelecidos, repetindo e variando infinitamente estruturas já consagradas pelo público. De vez em quando, surgem romances que se dispões a destruir todas as expectativas dos leitores mais veteranos, aqueles que já estão cançados das tradicionais tramas e personagens. “Heroes Die” é um desses tipos de romances, uma mistura de ficção científica distópica com fantasia medieval brutal e sombria.

Heroes Die (HC)

Os romances se passam em uma distopia (uma versão pessimista do futuro do nosso planeta), onde uma terra paralela chamada de Overworld, que lembra um mundo tradicional de fantasia medieval (com elfos, dragões, trolls, etc) foi descoberta em uma outra dimensão. As corporações que controlam a Terra enviam atores para viver aventuras no Overworld. Essas aventuras são consumidas pelos mais de dez bilhões de pessoas que vivem na Terra e são usadas para manter um sistema hipercapitalista e opressor. As aventuras vividas pelos atores no Overworld, são vivenciadas em tempo real por bilhões de pessoas com o uso de um sistema avançado de realidade virtual.

Essa mistura de ficção científica e fantasia brutal é muito bem feita pelo autor. A narrativa se passa nos dois mundos e o protagonista é a maior estrela das aventuras do Overwolrd, o grande assassino Caine. O estilo do autor é fluido e limpo, bem viceral. As cenas de ação são muito realistas (o autor é um expert em artes marciais), e o que a primeira vista seria um romance apenas de ação, se torna um questionamento da própria natureza da violência como entreterimento.

O livro segue a linha contemporânea de questões morais mais complexas do que simplesmente uma luta do bem contra o mal. Os personagens são bem cinzas, sem papéis muito definidos entre vilões e heróis, apesar de existirem personagens bem degenerados na história. Sem mocinhos, Matthew desconstrói as narrativas clássicas de fantasia, mostrando um lado mais realista da violência que muitas vezes não é visto pelos fãs de narrativas de ação.

Mesmo sendo uma história de ação, com trama, reviravoltas, lutas desesperadas e todo os elementos característicos do gênero, Heroes Die brilha por sua meditação sobre o papel da violência no entreterimento, o porque a violência é uma obsessão cultural e a processo de alienação que o entreterimento cria em relação a violência em si.

A história também aborta vários outros temas, como o amor e sua relação com a violência,o poder versus a compaixão, e possui centas de violência bem explícitas.

Fica a recomendação, o livro é muito bom e bem original na sua concepção e realização. Com certeza lerei os demais livros da série!

Heroes Die na Amazon

 

Anúncios