NitroFlash Fiction: Rique Pó,O Menino Que Sobreviveu #nitroblog #flashfiction #conto

Começando com as NitroFlash Fiction aqui no blog, aqui está Rique Pó, O Menino Que Sobreviveu. Flash Fictions são histórias completas de até 1000 palavras, se você quiser saber mais é só ir nesse link.

Essa história estava na minha cabeça a muito tempo, e finalmente achei um formato para escrevê-la. Estou curtindo muito escrever flash fictions, dá uma pausa boa para refrescar as baterias enquanto escrevo o romance A Marca da Caveira.

Devo postar mais Flash Fictions (contos de no máximo 1000 palavras) aqui no blog, inclusive algumas flash fictions dos personagens do meu próximo livro, o Marca da Caveira (Trilogia Legião #1). Como toda flash fiction, Rique Pó tem 937 palavras, ou seja, dá para ler rapidim! A capa foi inspirada no design fodásico dos anos 50 da Penguin.

Espero que curtam o Rique Pó! 🙂

capas flash fiction A4 final

Links para Download:

Rique Pó – O Menino que Sobreviveu – Newton Nitro (PDF)

Rique Pó,O Menino Que Sobreviveu (EPUB) – Para Ebook Readers como Kobo ou Apps do Android

Rique Pó,O Menino Que Sobreviveu (MOBI) – Para Kindle

RIQUE PÓ, O MENINO QUE SOBREVIVEU

_ Parado aí véi, se der um passo morre!

O gigante levantou os braços, pensando no bebê que chorava, dentro do berço preso na garupa de sua motocicleta voadora. Os traficantes o cercaram, camisas soltas sobre bermudas, armas apontadas em sua direção. Ele devia ter escutado o velho neomago, o Complexo do Alemão não era o melhor lugar para descobrir um refúgio para o escolhido.

_ É o seguinte, cara, deixa sua moto aqui e sai fora. Leve esse catarrento junto com você.

Ele tinha que salvar o bebê. As ordens eram simples, levar a criança para uma família mundana, longe das garras do Dr. Walmort.

Dr. Walmort não podia encontrar esse bebê. Coisas da vida de neomagos quânticos.

E da porra do fluxo narrativo.

Tinha sido o Dr. Walmort que explodira o Haldron Collider, reestruturando o campo quântico e o tornando maleável de acordo com a vontade humana.

Magia de verdade, mas apenas para aqueles que, como Walmort, possuíam um gene raríssimo em seu DNA. Neomagos.

Porém, ao invés de um caos absoluto causado pela quebra constante das leis da natureza, os neomagos se viram restritos em suas ações pelo fenômeno do fluxo narrativo.

A porra do fluxo narrativo.

O inconsciente dos neomagos começou a afetar a causalidade dos acontecimentos,  prendendo suas ações dentro de narrativas familiares de um mundo onde a magia é real.

E a narrativa que venceu, e que o transformou em um gigante com barbas e capacidade mágica reduzida, foi, é claro, a baseada nos livros da mais famosa escritora do mundo.

Assim, quando ele abriu as portas do seu apartamento do Leblon e viu um neomago velho e de barbas brancas com um bebê nos braços, ele tinha certeza absoluta que estava completamente e absolutamente fudido.

_ Vocês não entendem, esse bebê…

Ele escutou um tiro. E apenas isso.

*  *  *

_ Quem atirou! Quem atirou, caralho! _ disse Diego Sabão.

_ Foi mal chefia.

Perninha olhava para o chão, sua ponto quarenta fumegando atrás de suas pernas tortas. O gigante jazia ao lado da moto, com uma bala na cabeça. O bebê berrava como se estivesse pegando fogo. O tamanho daquele homem o tinha deixado nervoso. E a barba. Perninha sempre teve medo de barbas muito longas. Talvez por ter sido estuprado por um homem vestido de papai noel quando tinha apenas quatro anos, dentro do Barra Shopping.

_ Vou fazer o quê com esse bebê?

_ Podexá que eu levo ele. A patroa vive me enchendo o raio do saco dizendo que não tenho bala na agulha para dar uns muleque pra ela. Eu levo esse aí.

* * *

E Rique Pó cresceu no meio da bandidagem, traficando aos 6 anos, matando Perninha aos 12 e virando o mais poderoso traficante do Complexo do Alemão aos 17.

Descobriu que era diferente dos outros meninos do morro quando arrancou o coração de um fogueteiro que insistia em lançar fogos na sua direção. O que foi peculiar é que ele apenas apontou um graveto em direção ao pivete e disse a palavra “Accio”. O coração irrompeu do peito do fogueteiro e veio até as suas mãos, em meio aos gritos desesperados das outras crianças. Foi o dia mais feliz de sua vida.

Naquele mesmo dia Rick matou Perninha, que o espancava toda vez que chegava em casa bêbado e drogado. Com um simples “Ferreteuns”, Rique derreteu o rosto do seu pai adotivo de pernas tortas.

As palavras mágicas vinham em sua mente naturalmente. Um “Avada Kedavra” e pronto, o chefe dos traficantes do Complexo do Caju não era mais um problema. “Bombarda” e tchau, tchau, Unidade de Polícia Pacificadora do Complexo do Alemão.

Em pouco tempo se tornou o traficante mais poderoso do Rio de Janeiro.

O fluxo narrativo o ajudava. Aprendeu mais sobre magia quântica ao roubar a pedra do craque filosofal de um neomago bicheiro da Barra da Tijuca. Destruiu a câmara secreta onde se escondiam um grupo de neomagos do Novo Terceiro Comando. E conseguiu escapar mesmo depois de ser preso em Bangu 1 por um grupo do Bope liderados por um neomago.

Um grupo de jovens neomagos, que tinha se organizado no Fênix Futebol Clube, pediu sua ajuda para acabar com a crescente ameaça do Dr. Walmort. Odiando imediatamente aquele bando de playboys e patricinhas, Rique Pó os imobilizou com um “Impedimenta” e depois os queimou em pneus, como um aviso para que nenhum outro neomago ousasse subir no morro.

Forçado pelo fluxo narrativo, Walmort enviou seus servos neomagos para matar o jovem.

Rique reagiu. Para os neomagos mais fracos, um simples tiro na testa resolvia. Para os mais poderosos, nada como bombas colocadas em carros ou em suas casas para cuidar do problema. E quando tudo dava errado, o jeito era apelar para a magia mesmo. Um simples “Wingardium Leviosa” levitava o cérebro de sua vítima rompendo a tênue ligação com o cerebelo. Morte instantânea.

Mesmo temendo o fluxo narrativo, o Dr. Walmort desafiou Rique para um duelo. Rique marcou o confronto para o campo de futebol do Complexo do Alemão. Em um domingo, é claro, porque ninguém é de ferro.

O velho Walmort chegou a entrar no campo, com Rique o esperando no centro do terreno de terra batida. Depois de dar dois passos, Walmort explodiu, pisando em uma mina terrestre que Rique tinha roubado recentemente do exército do Rio de Janeiro.

Rique sorria quando um tiro o acertou na nuca.

_ Isso é pelo Perninha, seu muleque mimado dos infernos! _ disse Diogo Sabão.

E em meio aos seus neurônios espalhados pelo chão, estava o último pensamento de Rique Pó.

_Foda-se o fluxo narrativo.

FIM

Escrito por Newton Nitro Rocha (10/10/13) Flash Fiction – 1000 palavras

Contato: prof.newtonrocha@gmail.com

______________________________________________

Licença Creative Commons:

Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Compartilhamento Igual 3.0 Não Adaptada.

Para ver uma cópia desta licença, visite http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.pt. Você pode compartilhar como quiser, desde que atribua a autoria. 🙂

Anúncios

8 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s