O Último Reino, Bernard Cornwell – Crônicas Saxônicas #1 – Entre o Paganismo e o Cristianismo! #nitroblog

Como eu pretendo ler tudo que o Cornwell escreveu, foi com muita animação que comecei o Último Reino (The Last Kingdom). E ele não decepcionou!

uliom

Usando da mesma estrutura da saga do Rei Artur (onde a história é contada como as memórias do fodásico Derfel), o Último Reino é narrado pelo ponto de vista de Uhtred, um guerreiro pagão que é adotado por invasores dinamarqueses durante a época da ascenção de Alfred, o Grande, o primeiro rei inglês que uniu os saxões na nação que se tornaria a Inglaterra dos dias de hoje.

vikings (1)

Uhtred é bem diferente de Derfel, é quase um anti-herói, arrogante e cuja lealdade varia de acordo com quem mais lhe beneficiará no momento. Mas como o personagem é muito bem construído, com fraquezas, questionamentos e traços que o humanizam, ele se torna o herói perfeito para a narrativa.

O estilo de Cornwell é apropriado para a narrativa, e, mesmo com muitas passagens mais “contadas” do que “narradas”, necessárias pelo volume imenso de informações histórias que ele tem que passar, ele sabe dosar muito bem com passagens “mostradas”. Além disso ele reforça a dica de que, se você tem que “narrar” muitas partes de sua história, essas partes precisam ser muito bem escritas, para manter a atenção dos leitores.

O tema básico que unifica a narrativa é o conflito interno de Uhtred entre sua herança saxônica, pelo seu nascimento e a sua identidade dinamarquesa, pelo seu crescimento entre os invasores dinamarqueses. Essa é a metáfora perfeita para a Inglaterra do período, dividida entre duas culturas em oposição, o paganismo dos invasores contra a fé cristã que se alastrava entre os saxões.

Last Kingdom

Como o ponto de vista da narrativa é de um pagão, a história descreve uma visão muito crítica do cristianismo da época, uma visão bem negativa dos padres e sacerdotes, e da fé declarada por Rei Alfred. Parece que foi intencional do autor, para contrapor aos textos históricos do período, que, escritos por padres, tendem a exaltar os feitos cristãos e a demonizar os personagens pagãos.

A trama é bem construída, apesar de menos focada do que na trilogia do Rei Artur. As cenas de batalhas são impressionantes, e curti muito a descrição minunciosa do estilo de vida dos dinamarqueses invasores, os “vikings” do período. Um detalhe e uma recomendação, li o livro escutando a trilha sonora do seriado Vikings, e ficou doidimais!

 

Fica a recomendação, li o livro em inglês, mas nunca escutei reclamações da tradução! 🙂

Próxima Leitura: Onde os Fracos Não Tem Vez / No Country for Old Men , do Comarc McCarthy (2005), um thriller massavéio, violento e no estilo perfeito e secão do Cormac.

COMPRE O ÚLTIMO REINO – LAST KINGDOM

The Last Kingdom (The Saxon Chronicles Series #1) by Bernard Cornwell et al.
The Last Kingdom (The Saxon Chronicles Series #1)
by Bernard Cornwell et al.
Link: http://amzn.com/0061126578
O Último Reino (Crônicas Saxônicas #1)
Anúncios

2 comentários

  1. Já estava na espera dessa resenha desde que você avisou que estava entrando no mundo de Bernard Cornwell. Só te digo uma coisa: vai ser complicado sair! haushaushuhsa

    Crônicas Saxônicas, pra mim, é a obra mais fodástica dele, num nível ainda maior que As Crônicas de Artur e essa série ainda nem foi finalizada. Quanto ao Uhtred, é incrível ver o desenvolvimento dele ao longo dos livros e fica difícil não gostar desse personagem sanguinário, mesmo com toda sua arrogância.

    Continua firme na leitura que o retorno é garantido.

    Segue o link do meu blog, caso queira dar uma olhada: http://desbravandolivros.blogspot.com.br/. Conheci o seu há um mês e gostei bastante da resenha de Malazan, uma das minhas futuras leituras.

    Abraço!

  2. De acordo Nitro… ele é muito arrogante nesse livro. Credo. É emocionante acompanhar a trajetória dele.

    E de fato, a tradução é impecável. Li os dois. Desde então, qualquer tradução do Calado eu me jogo sem pestanejar. Pena que nunca encontrei o email ou site dele para agradecer pessoalmente pelo trabalho tão bem feito.

    Aquele abraço, e que as fiandeiras reservem coisas especiais para você.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s