Resenha: Secreções, Excreções e Desatinos – Rubem Fonseca – Sexo, Amor e Escatologia Literária! #nitroblog

Mais um livro de contos sensacional do Rubão, “Secreções, Excreções e Desatinos” é uma coletânea de 14 contos unificados pelo tema exposto no título. Os contos ressaltam a faceta mais anatomista de Fonseca, que continua em seu estilo sucinto, direto e elíptico, misturando o erudito e o chulo, recheiando histórias escatológicas com referências literárias e do mundo da arte.

SECREÇÕES

Os contos se destacam pela criatividade do uso da “secreção, excreção ou desatino” selecionado, apesar de não variarem em termos de técnica narrativa; com Fonseca usando sempre um discurso indireto, com a presença em quase todos os contos do narrador em primeira pessoa, que, depois de ler os livros de contos do Fonseca em seguida, já se misturaram em minha mente como um superpersonagem multifacetado.

O conteúdo é ousado, sempre achei que a marca de um grande escritor é sua capacidade de pegar temas espinhudos e transformar em arte, em uma narrativa tão natural que até assusta quando recordamos do que realmente se trata a narrativa. Nabokov fez isso com a pedofilia em Lolita, e Fonseca faz isso nesse livro com a escatologia.

Recomendo, talvez não como um livro de entrada para a obra fonsequiana, mas uma coletânea muito bem organizada, coesa e desafiadora para o leitor. Meus contos favoritos foram, o “Copromancia”,”Agora Você (ou José e seus irmãos)”, “Beijinhos no Rosto”, “Mulheres e Homens Apaixonados” e “O Corcunda e a Vênus de Botticelli”.

MICRO-SUMÁRIO RAPIDÃO DOS CONTOS DO SECREÇÕES, EXCREÇÕES E DESATINOS

Copromancia – Um homem descobre os mistérios do universo em suas fezes.

Coincidências – Sobre um paranóico com caspa.

Agora Você (ou José e seus irmãos) – Terapia em grupo com pittboys!

A Natureza, em Oposição à Graça – O dilema de um vegetariano tentando reconquistar um amor perdido.

O Estuprador – Um homem e suas medidas drásticas para ver uma mulher nua, um conto envolvendo mestruação.

Belos Dentes e Bom Coração – Um detetive atrás de uma adúltera.

Beijinhos no Rosto – Um homem com uma doença terrível enfrentando a própria mortalidade.

Aroma Cactáceo – Um homem e o hálito da mulher por quem se apaixonou.

Mulheres e Homens Apaixonados – Uma história de paixão contada pelo ponto de vista masculino e feminino, e envolvendo superstição bem brasileira.

A Entrega – Violência urbana praiana.

Mecanismos de Defesa – Um conto-ensaio sobre a masturbação.

Encontros e Desencontros – Um homem tentando descobrir o segredo que sua amada esconde.

O Corcunda e a Vênus de Botticelli – A Bela e a Fera na versão de Rubem Fonseca.

Vida – Sobre gases humanos e seus cheiros.

CITAÇÕES DOIDIMAIS DO “Secreções, Excreções e Desatinos” DE RUBEM FONSECA

Godofredo desenvolveu uma tese, segundo a qual o sexo entre duas pessoas pode causar a destruição mútua, mas a masturbação a sós nenhum mal pode provocar. Para comprovar seu ponto de vista, apropriava-se da afirmativa de um renomado psiquiatra, autor de vários livros científicos: a masturbação era a principal atividade sexual da humanidade, algo que no século XIX era uma doença, mas no século XX era uma cura. E no século XXI, Godofredo acrescentava, com os graves problemas de comunicação provocados pela televisão e agravados pela internet, com os sofrimentos causados pelos nossos inevitáveis surtos de egocentrismo e narcisismo, com as frustrações resultantes da deterioração do meio ambiente, a masturbação era o mais puro dos prazeres que nos restavam. E as mulheres, a quem sempre foram negados todos os prazeres, podiam encontrar na masturbação uma fonte redentora de deleite e alegria.

Rubem Fonseca, Secreções, Excreções e Desatinos, “Mecanismo de Defesa”

Estou aprendendo a entender poesia?
Sim. O poema pode ser entendido como você quiser, o que já é um avanço, e outras pessoas poderão, ou não, entendê-lo da mesma maneira que você. Mas isso não tem a menor importância. O que importa é que o leitor deve sentir o poema e o que alguém sente ao ler um poema é exclusivo, não é igual ao sentimento de nenhum outro leitor. O que necessita ser entendido é o conto, é o romance, esses gêneros literários menores, cheios de simbolismos óbvios.

Rubem Fonseca, Secreções, Excreções e Desatinos, “O Corcunda e a Vênus de Botticelli -“

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s