Forge of Darkness – A Forja das Trevas (Trilogia Kharkanas #1) de Steven Erikson – Um Portal de Entrada para o Mundo de Malazan! #fantasia #resenha

Steven Erikson é, para mim, um dos melhores escritores contemporâneos em qualquer gênero. O pequeno milagre literário de ter um escritor desse naipe dedicado à fantasia é algo que agradeço ao cosmos a cada livro que o canadense lança (ô país que só cria escritor fodásico, como William Gibson, Margaret Atwood, R. Scott Baker, etc!). Depois de encerrar a gigantesca saga Malazan (10 livros, mais de 300 mil palavras cada, 3 milhões e 300 mil palavras no total), o cara retorna ao mundo de Malazan, resolvido a contar suas origens. E nessa volta, novamente, revolucionar a fantasia contemporânea.

Steven_Erikson_reading_a_book

Malazan foi como uma bomba no nicho da fantasia brutal militarista, mesmo com Steven Erikson sendo um autor mais cult, com livros difíceis e que criaram uma legião pequena mas fanática (onde eu me incluo hahahahaha) de fãs. Na série Malazan, Steven criou uma espécie de anti-fantasia, uma crítica com toques pós-modernos ou pós-estruturalistas (dependendo do gosto do freguês) dos tropos (tropos não são clichês pessoal, pelamordocosmos!, clichês é preguiça de escritor, tropo é estrutura narrativa) tradicionais da fantasia medieval.

E agora, com a trilogia Kharkanas (a primeira de mais duas trilogias, a segunda vai ser dos Toblakai, os bárbaros berserker de 2 metros emeio de altura e quatro pulmões DOIDIMAIS VÉIO!!!), Erickson abandona a crítica pós-moderna e faz um retorno adulto para o formato tradicional de trilogia de fantasia, com toda brutalidade e intensidade emocional característica de seus textos. É um Neoclassissimo de fantasia, o que acho que torna Forge of Darkness mais acessível para leitores que não conhecem a obra do Steven.

Então é esse o ponto que quero deixar com esse texto: Forge of Darkness é uma ótima introdução ao mundo de Malazan, mesmo que você não tenha lido a saga monstra. A história é fechada e não necessista conhecimento prévio. Vou recomendar sempre esse livro para quem queira conhecer Malazan.

Já a galera que leu os livros anteriores vai endoidar, eu digo, VAI ENDOIDAR! Eu fiquei só gritando MASSAVÉIO, MASSAVÉIO, todas as vezes que o jovem Anomander Rake (sim esse livro conta a história do Anomander, o que já é o suficiente tornar o livro leitura obrigatória para qualquer fã de Malazan). Forge of Darkness revela também alguns dos mistérios da saga Malazan, e a origem da tragédia dos Tiste Andii. Além de mostrar o Caladan Brood, o Hood, e muitos outros!

Anomader Rake
Anomader Rake

A narrativa se passa em Kurald Galain, a reino das Trevas, onde Mãe Treva vive, um mundo-dimensão onde vivem os Tiste Andii (os elfos ou anti-elfos do Erickson).

O reino de Mãe Treva, uma imperatriz-deusa imortal do aspecto das Trevas , que se recupera de uma guerra horrenda contra os Dogrunners (os Corre-Cães, uma raça de licantropos poderosos mas primitivos) está prestes a entrar em guerra civil, quando Vatha Urasander, herói da guerra contra os Corre-Cães e com milhares de seguidores e líder da maior legião de soldados do reino, é escolhido pelos Altos Lordes (com o apoio da população) para ser o marido de Mãe Treva e assim se tornar o rei de todos os Tiste Andii.

Porém, Mãe Treva escolheu Lorde Draconus, um outro herói de guerra e portador de poderes misteriosos para ser seu Consorte. E no meio desse conflito estão os Primeiros Filhos das Trevas, Anomander Rake, Andaris e Silchas Ruin, filhos de Mãe Treva e considerados os mais poderosos guerreiros dos Tiste Andii.

9780765323569

É com esse cenário que se inicia a história, e que história, uma tragédia bem ao estilo grego e Shakespeareano, cheio de tiradas filosóficas, cenas dramáticas, e uma infinidade de personagens, mas com um estilo mais enxuto do que na série Malazan, mais enxuto e digo até mais maduro.

Temas fodásicos são tratados, como a brutalidade e nihilismo da guerra, a criação de sentido para a vida, possessividade materna e relação de pai e filho, sentido da vida, etc. E até uma crítica ecológica, já que os Tiste Andii detonaram completamente com o meio-ambiente de seu mundo-dimensão.

Só não gostei do final meio gancho, apesar da história ter vários clímax e revelações bombásticas no final, mas o final é bem ganchão mesmo, eu até já esperava, a gente tem que aguentar isso em trilogia, final gancho é foda mas fazer o quê, não é mesmo?

Fica a recomendação, 4 estrelas em 5! 🙂

Forge of Darkness: Epic Fantasy: Kharkanas Trilogy 1 (Kharkanas Trilogy Series) by Steven Erikson Forge of Darkness: Epic Fantasy: Kharkanas Trilogy 1 (Kharkanas Trilogy Series)

Anúncios

6 comentários

  1. Estou há tanto tempo enrolando pra começar a ler Malazan(e-books são minha kriptonita!), mas cada vez fico com mais vontade, só de ver como esse universo se expande e é tão bem construído. Uma pena que não tem nem previsão pro lançamento do livro físico aqui no Brasil, e nem encontro de forma mais “acessível” os originais importados por aqui :/

  2. Ola Newton!

    Conheci seu blog a pouco tempo e gostei bastante das suas dicas sobre fantasia medieval, que é minha linha favorita de leituras.

    Atualmente estou terminando o livro 4 de Game of Thrones e pretendo ler o livro 5 em seguida pra não perder o clímax dessa serie.

    Mas cara, to com uma lista enorme de indicações suas (inclusive tudo sobre Malazan) e fiquei curioso por você não mencionar (ou eu não encontrar) nenhuma resenha de escritores também muito famosos e de leituras mais simples (percebi que seu gosto é por conteúdo mais complexo/elaborado), como por exemplo: Robert Anthony Salvatore, Marion Zimmer Bradley, Tracy Hickman, Margaret Weis, etc.

    Parabéns pelo blog e com certeza continuarei acompanhando esse seu “guia dos mestres de fantasia medieval”.

    • Valeu Elber, eu já li quase tudo do Salvatore, recomendo muito, Marion Zimmer Bradley é bem legal também, li Brumas de Avalon na adolescência, Tracy e a Margaret são fodásicos na série Dragonlance, recomendo, são mais acessíveis e muito bom para começar a conhecer a literatura de fantasia. O lance é que, com o tempo, começo correr atrás de coisas mais desafiadoras mesmo! 😀 Um grande abraço e muito obrigado pelo comentário!

  3. Putz, cada vez que passa eu tenho mais vontade ainda de ler essa saga; infelizmente a Saída de Emergência não pronuncia se publicará a obra em português. Bem, fora disso, tenho uma pergunta ; o Marca da Caveira sai esse ano?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s